Cibercultura de Pierre Lévy

Atividade 2 de Educação e Sociedade em Rede

Advertisements

“Sociedade em rede” – síntese

Efetivamente, enquanto seres humanos somos seres sociais, com necessidade de nos definirmos em redes, vejamos as que estabelecemos desde que nascemos.

O conceito de sociedade em rede é um conceito complexo, amplo e abrangente. O seu carácter atual envolve todas as alterações patrocinadas pela velocidade trazida pela Internet e pelas novas tecnologias, reformulando as relações sociais. A comunicação passou a ser rápida e numa escala global, na qual se difunde e se transforma o conhecimento e as próprias tramas sociais.

Desta forma, a conjugação destes dois vocábulos, SOCIEDADE + REDE, permite uma definição mais abrangente para as complexas e atuais relações sociais que se estabelecem em rede, sem barreiras espaciais e temporais, mais rápidas e mais amplas.

O ser humano continua a viver em sociedade como sempre, a estebelecer as relações “enredadas” de sempre, mas com um novo cariz, o de poder e de transformação, que também deve ser analisado nos seus pontos menos positivos, como o acesso desigual às tecnologias.

Em poucas palavras, poderíamos caracterizar a sociedade em rede como a sociedade da era digital, na qual a globalização padronizou ou ampliou políticas, economias, culturas e transformou a sociabilidade.

Devemos contudo distinguir esta sociedade em rede da sociedade da informação e do conhecimento. Digamos que a segunda cabe na primeira, mas a primeira é muito mais ampla que a segunda.

Nós, seres do século XXI, designados por muitos autores de homo digitalis, vivemos num momento histórico que é necessário sublinhar. Equiparando-se a outros marcos, a “Sociedade em Rede” é fruto de transformações económicas, tecnológicas, sociais e culturais que abrangem todas as camadas sociais em todas as regiões do mundo.

Este ciberespaço global trouxe e continua a trazer impactos a nível social, cultural, político, económico, na educação e no trabalho, daí a sua também conhecida designação de “sociedade de aprendizagem”. Ele une pessoas numa dimensão nunca antes vista, promove a interação entre vários agentes e a colaboração e co-construção do conhecimento e da própria vida, cada vez mais complexa, melhor e mais fascinante.

Em suma:

O conceito de sociedade em rede é um conceito complexo, amplo e abrangente. Envolve a nova sociabilidade promovida pela difusão das novas tecnologias, que esbate as barreiras do tempo e do espaço e transforma o ser humano no homo digitalis que interage numa rede colaborativa, num ciberespaço global, mais rápido, mais próximo, mais conectado e mais competitivo. Ela representa, sem dúvida, uma transformação qualitativa da experiência humana.

Atividade 1 – Bibliografia Comentada – Canadá

No sentido da realização da atividade número um da unidade curricular Modelos de Ensino à Distância, seguem as 3 referências e as devidas anotações, com o intuito de se contribuir para uma bibliografia comentada de artigos relacionados com o Ensino à Distância na região do Canadá.

 

Anderson, T. (2008). Social software to support distance education learners. Theory and practice of online learning, 2nd ed., 221-241.

Terry Anderson, um dos expoentes máximos em Educação à Distância do Canadá, professor da Universidade de Athabasca, entre outros cargos, foca o seu ponto de vista no presente artigo sobre a questão da integração das tecnologias de informação em contextos de Educação à Distância, demonstrando a importância do desenvolvimento de modelos de aprendizagem baseados em interações, motivações e dimensões sociais de inevitável reflexão. O autor revela a extrema importância da promoção de dimensões sociais, que desconstruam as barreiras da ausência, da distância e do isolamento desta modalidade de ensino e se caminhe para um processo de aprendizagem cada vez mais colaborativo. Apresentando diferentes modelos, bem como a contextualização e diferentes definições de softwares sociais, Anderson procura relevar a necessidade da envolvência que esses softwares devem promover nos alunos. Demonstra também  a importância da Internet e as suas aplicações, bem como outras aplicações de referência no processo de Ensino à Distância.

Kawalilak, C., Wells, N., Connell, L., & Beamer, K. (2012). E-Learning Access, Opportunities, and Challenges for Aboriginal Adult Learners Located in Rural Communities. College Quarterly, 15(2), n2.

Este artigo centra a sua reflexão num projeto piloto de análise qualitativa das necessidades educativas de alunos adultos das comunidades rurais de aborígenes em Alberta, Canadá. O seu objetivo é medir e analisar o potencial do elearning nestes cenários em estudo. Toda a pesquisa prévia de contextualização e fundamentação das temáticas abordadas são elencadas de forma clara e objetiva, permitindo ao leitor estabelecer relações e conexões com os resultados finais. É traçado um quadro genérico da ação a desenvolver, da metodologia seguida, bem como desenvolvido e apresentado o modelo holístico a implementar. Assim, os autores desenvolveram o projeto e três fases: de contacto, de recolha de dados e de tratamento da informação recolhida. O estudo abrangeu um universo de 47 participantes, com idades entre os 18 e os 54 anos. As principais características que se evidenciam é a questão da flexibilidade, da motivação e do envolvimento que o elearning desenvolveu nestes alunos, bem como no potencial do mesmo em levar o conhecimento até comunidades mais distantes e mais isoladas. Desta forma, a conclusão do artigo enfatiza o potencial atingido com a Educação à Distância, nomeadamente o elearning, para o desenvolvimento das comunidades analisadas.

Sweet, R. (2000). Distance education for adult learners: Developments in the Canadian post-secondary system. Canadian Journal for the study of adult Education, 14(1), 1-26.

Neste artigo,Sweet traça linhas objetivas associadas ao desenvolvimento do Ensino à Distância no Canadá. Baseado-se no Statistics Canada’s 1994 Adult Education and Training Survey, promove a reflexão com experiências em colégios e universidades. O foco fundamental do autor está na utilização das tecnologias, no desenvolvimento e na promoção das diferentes áreas do conhecimento do pós secundário em contextos de Educação à Distância. O modelo pedagógico emergente é centrado no aluno e na clara evidência das vantagens desta modalidade de ensino, principalmente quando aplicada em contexto de educação e formação de adultos. Elencadas as três gerações do Ensino à Distância, Sweet destaca o conetivismo e o construtivismo necessários a esta modalidade de ensino, apontando motivações e dimensões que devem ser consideradas nestes contextos pedagógicos. Analisa também o estatuto da Educação à Distância no Canadá, as suas inovações e consequências para os estudantes, demonstrando o potencial do Canadá neste contexto, sem descurar todo o cenário social e económico que o acompanha e que deve ser tido em conta.

Hélder Pereira

Atividade 0 – Ideias feitas sobre Ensino à Distância e Elearning

  • Ponto 1 – Depoimento Pessoal

 Partindo da conceção etimológica da palavra de origem grega ideia, no sentido de imagem de representação do real, não posso deixar de recuar atrás no tempo e mencionar as minhas primeiras conceções de ensino à distância: quando correspondíamos por carta com crianças de Inglaterra, procurando desenvolver o conhecimento da língua inglesa; os cursos distribuídos em cassetes, que poderíamos adquirir em qualquer papelaria a um preço bastante acessível;  bem como os programas televisivos que podíamos assistir e com eles desenvolver alguns conhecimentos. Desta forma, o meu conceito de ensino à distância abrangia todo e qualquer processo de aprender sem a presença física dos diferentes elementos que o compunham.

Por outro lado, o conceito de elearning abrange, segundo o meu ponto de vista, a modalidade de ensino não presencial, mediada pela utilização de plataformas tecnológicas, pois tal como a própria abreviatura nos transmite, trata-se do processo de aprendizagem eletrónico.

Confesso que, antes de entrar na viagem deste mestrado, com o Módulo de Ambientação Online, o MAMBO, as fronteiras entre ensino à distância e elearning não eram bem claras, se é que neste momento posso afirmar que o são…julgo que só o tempo o dirá.

Contudo, através das leituras efetuadas para a primeira atividade, pude entender algumas das características do elearning, o seu conceito abrangente e não tão limitado como o previa, mais regrado do que o imaginava, mas com um efeito ainda mais motivador e atrativo para sobre ele me debruçar. O debate entre os Clássicos, nome do meu grupo de trabalho, e a troca de algumas ideias abriram, sem dúvida, os horizontes sobre esta temática e aumentaram os níveis de interesse em aprofundar um conhecimento efetivo sobre esta modalidade de ensino tão atual.

No desenrolar da segunda atividade, pudemos também refletir sobre questões bastante pertinentes sobre o perfil e as características do aluno online, o que nos possibilitou identificar alguns alertas até então desconhecidos, ou não tão visíveis no imediato, bem como encontrarmos um caminho mais seguro para aquilo que será esta nossa viagem.

Como é lógico, não poderia deixar de referir a fantástica surpresa que foi entrar em contacto com o Second Life. Esta foi, para mim, a cereja no topo do bolo deste MAMBO, tornando visível e efetivo um oceano de possibilidades de elearning. A gamificação que permite ao processo de aprendizagem torna-o motivador e viciante, a sua dimensão social torna-o real e próximo, e a sua característica interativa e dinâmica gera um manancial de oportunidades de elearning, que certamente me surpreenderão constantemente.

Considero o MAMBO um módulo fundamental para o embarque deste percurso, uma vez que nos fornece elementos-chave para que a nossa conceção de elearning se altere para um conceito progressivamente mais nítido e para que o nosso percurso seja cada vez mais claro e objetivo. Permitiu-nos esbater algumas barreiras digitais, como a forma de participação em fóruns ou em momentos de aprendizagem síncronos, permitiu-nos desenvolver o sentimento de turma e de pertença a uma instituição de ensino e possibilitou-nos entender que não estamos  sozinhos e que teremos um constante apoio por parte dos professores que nos acompanham. Adivinha-se para aqueles que, como eu, se formaram num sistema de ensino tradicional, uma mudança de paradigma inevitável.

  • Ponto 2 – Sinopse: Elearning: perspetivas e horizontes de Terry Anderson e Paulo Dias

 Num mundo global, de imagem, de informação, comunicação e tecnologia, emergem dois nomes, Terry Anderson e Paulo Dias, com perspetivas e horizontes fundamentados e cientificamente reconhecidos na comunidade de ensino através de plataformas eletrónicas, o elearning.

A nível internacional,Terry Anderson, de nacionalidade canadiana, dedica a sua vida académica ao estudo aprofundado de questões pedagógicas ligadas ao elearning. Ampla e variada é a bibliografia deste professor da Universidade de Athabasca, destacando-se The Theory  and Practice of Online Learning e E-Learning in the 21st Century: A framework for research and practice. O seu contributo focaliza-se na delineação de modelos pedagógicos em elearning, assentes em três dimensões: a dimensão cognitiva, a social e a docente, desenvolvidas em interações entre os diferentes intervenientes. Este nome surge intimamente ligado ao desenvolvimento de ideias sobre tendências de elearning.

No palco nacional, destaca-se Paulo Dias, quer pela sua obra, quer pelo envolvimento sólido e de referência em questões do ensino à distância e de elearning. Poderíamos referir Processos e contextos de aprendizagem colaborativa nas comunidades virtuais e de prática, mas vários são os livros publicados, capítulos de livros publicados, artigos em revistas com arbitragem científica e muito mais. Reitor da Universidade Aberta, tem um contributo de extrema importância nas discussões de inovação e aprendizagem na era digital, bem como na usabilidade pedagógica nos cenários de educação aberta, colaborativa e em rede.

Duas visões e uma necessidade: mudança de paradigma que rompa com as barreiras entre os contextos de educação formal e informal, da educação tradicional e a educação atual.

Duas visões e uma realidade: elearning e inovação pedagógica.

31 de outubro de 2014

Hélder Pereira

Porquê MPELIANISMO?

bigstock-E-learning-and-education-conce-43944544

 “Os homens educam-se entre si, mediatizados pelo mundo.”

Paulo Freire

Porquê MPELIANISMO?

MPEL + IANISMO

MPEL = Mestrado em Pedagogia do Elearning

IANISMO= Perspetiva, visão, reflexão, valorização, pensamentos, ideias etc…

MPELIANISMO – Reflexões que vão surgindo com o desenvolvimento das atividades, das leituras e das experiências que vão sendo desenvolvidas ao longo da caminhada deste Mestrado em Pedagogia do Elearning. Nova visão que vai sendo construída e desenvolvida.

O menu:

MED – Unidade Curricular Modelos de Educação à Distância;

ESR – Unidade Curricular Educação e Sociedade em Rede;

AVA – Ambientes Virtuais de Aprendizagem;

PPEL – Processos Pedagógicos em Elearning;

MREL – Materiais e Recursos para Elearning;

PCO – Psicologia da Comunicação Online;

ACEL – Avaliação em Contextos de Elearning;

MICO – Metodologia de Investigação em Contextos Online.

Espero que gostem!

Até já!

Quem sou eu?

me

O meu nome é Hélder Bruno Ferreira Pereira e sou licenciado em História, ramo educacional, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto desde Dezembro de 2004.

A minha experiência profissional prende-se, na sua maioria, a atividades ligadas à Educação, como professor e como formador em várias escolas do setor público e privado, assim como a diferentes níveis de ensino.

Neste momento, sou coordenador de projetos educacionais numa empresa de tecnologia educativa, trabalhando com formação de professores para o uso da tecnologia em sala de aula, softwares educativos, de gestão de sala de aula, de gravação de vídeo-aulas, bem como o desenvolvimento de conteúdos pedagógicos digitais interativos, em território português e brasileiro.

Considero esta oportunidade uma mais-valia para o meu currículo académico, profissional e pessoal. Além disso, sinto-me particularmente vocacionado para o eLearning por se tratar de uma área que desde sempre despertou o meu interesse e entusiasmo.

Assim, este blogue surge no sentido da minha entrada no Mestrado em Pedagogia do Elearning da Universidade Aberta.

Nele encontraremos um pouco do trabalho desenvolvido no mestrado, bem como notícias que se considerem pertinentes sobre a temática do elearning.