Modelo Pedagógico de Ensino à Distância de Terry Anderson

Este trabalho pretende, mais do que mostrar a perspetiva de Terry Anderson, proporcionar um momento de reflexão no que aos modelos de aprendizagem online diz respeito.

O seu desenvolvimento constitui prova significativa de uma aprendizagem colaborativa ao juntar tempos e espaços diferentes na produção conjunta de um artefacto educativo.

Esta apresentação Prezi é desenvolvida com conteúdo informativo e ilustrativo. Chamamos particular atenção aos três momentos de vídeo que a compõem, que exigem que a apresentação esteja carregada na sua totalidade.

Esperemos que gostem!

Capturar

Equipa Anderson 2014 (MPEL8)

Atividade 1 – Bibliografia Comentada – Canadá

No sentido da realização da atividade número um da unidade curricular Modelos de Ensino à Distância, seguem as 3 referências e as devidas anotações, com o intuito de se contribuir para uma bibliografia comentada de artigos relacionados com o Ensino à Distância na região do Canadá.

 

Anderson, T. (2008). Social software to support distance education learners. Theory and practice of online learning, 2nd ed., 221-241.

Terry Anderson, um dos expoentes máximos em Educação à Distância do Canadá, professor da Universidade de Athabasca, entre outros cargos, foca o seu ponto de vista no presente artigo sobre a questão da integração das tecnologias de informação em contextos de Educação à Distância, demonstrando a importância do desenvolvimento de modelos de aprendizagem baseados em interações, motivações e dimensões sociais de inevitável reflexão. O autor revela a extrema importância da promoção de dimensões sociais, que desconstruam as barreiras da ausência, da distância e do isolamento desta modalidade de ensino e se caminhe para um processo de aprendizagem cada vez mais colaborativo. Apresentando diferentes modelos, bem como a contextualização e diferentes definições de softwares sociais, Anderson procura relevar a necessidade da envolvência que esses softwares devem promover nos alunos. Demonstra também  a importância da Internet e as suas aplicações, bem como outras aplicações de referência no processo de Ensino à Distância.

Kawalilak, C., Wells, N., Connell, L., & Beamer, K. (2012). E-Learning Access, Opportunities, and Challenges for Aboriginal Adult Learners Located in Rural Communities. College Quarterly, 15(2), n2.

Este artigo centra a sua reflexão num projeto piloto de análise qualitativa das necessidades educativas de alunos adultos das comunidades rurais de aborígenes em Alberta, Canadá. O seu objetivo é medir e analisar o potencial do elearning nestes cenários em estudo. Toda a pesquisa prévia de contextualização e fundamentação das temáticas abordadas são elencadas de forma clara e objetiva, permitindo ao leitor estabelecer relações e conexões com os resultados finais. É traçado um quadro genérico da ação a desenvolver, da metodologia seguida, bem como desenvolvido e apresentado o modelo holístico a implementar. Assim, os autores desenvolveram o projeto e três fases: de contacto, de recolha de dados e de tratamento da informação recolhida. O estudo abrangeu um universo de 47 participantes, com idades entre os 18 e os 54 anos. As principais características que se evidenciam é a questão da flexibilidade, da motivação e do envolvimento que o elearning desenvolveu nestes alunos, bem como no potencial do mesmo em levar o conhecimento até comunidades mais distantes e mais isoladas. Desta forma, a conclusão do artigo enfatiza o potencial atingido com a Educação à Distância, nomeadamente o elearning, para o desenvolvimento das comunidades analisadas.

Sweet, R. (2000). Distance education for adult learners: Developments in the Canadian post-secondary system. Canadian Journal for the study of adult Education, 14(1), 1-26.

Neste artigo,Sweet traça linhas objetivas associadas ao desenvolvimento do Ensino à Distância no Canadá. Baseado-se no Statistics Canada’s 1994 Adult Education and Training Survey, promove a reflexão com experiências em colégios e universidades. O foco fundamental do autor está na utilização das tecnologias, no desenvolvimento e na promoção das diferentes áreas do conhecimento do pós secundário em contextos de Educação à Distância. O modelo pedagógico emergente é centrado no aluno e na clara evidência das vantagens desta modalidade de ensino, principalmente quando aplicada em contexto de educação e formação de adultos. Elencadas as três gerações do Ensino à Distância, Sweet destaca o conetivismo e o construtivismo necessários a esta modalidade de ensino, apontando motivações e dimensões que devem ser consideradas nestes contextos pedagógicos. Analisa também o estatuto da Educação à Distância no Canadá, as suas inovações e consequências para os estudantes, demonstrando o potencial do Canadá neste contexto, sem descurar todo o cenário social e económico que o acompanha e que deve ser tido em conta.

Hélder Pereira

Atividade 0 – Ideias feitas sobre Ensino à Distância e Elearning

  • Ponto 1 – Depoimento Pessoal

 Partindo da conceção etimológica da palavra de origem grega ideia, no sentido de imagem de representação do real, não posso deixar de recuar atrás no tempo e mencionar as minhas primeiras conceções de ensino à distância: quando correspondíamos por carta com crianças de Inglaterra, procurando desenvolver o conhecimento da língua inglesa; os cursos distribuídos em cassetes, que poderíamos adquirir em qualquer papelaria a um preço bastante acessível;  bem como os programas televisivos que podíamos assistir e com eles desenvolver alguns conhecimentos. Desta forma, o meu conceito de ensino à distância abrangia todo e qualquer processo de aprender sem a presença física dos diferentes elementos que o compunham.

Por outro lado, o conceito de elearning abrange, segundo o meu ponto de vista, a modalidade de ensino não presencial, mediada pela utilização de plataformas tecnológicas, pois tal como a própria abreviatura nos transmite, trata-se do processo de aprendizagem eletrónico.

Confesso que, antes de entrar na viagem deste mestrado, com o Módulo de Ambientação Online, o MAMBO, as fronteiras entre ensino à distância e elearning não eram bem claras, se é que neste momento posso afirmar que o são…julgo que só o tempo o dirá.

Contudo, através das leituras efetuadas para a primeira atividade, pude entender algumas das características do elearning, o seu conceito abrangente e não tão limitado como o previa, mais regrado do que o imaginava, mas com um efeito ainda mais motivador e atrativo para sobre ele me debruçar. O debate entre os Clássicos, nome do meu grupo de trabalho, e a troca de algumas ideias abriram, sem dúvida, os horizontes sobre esta temática e aumentaram os níveis de interesse em aprofundar um conhecimento efetivo sobre esta modalidade de ensino tão atual.

No desenrolar da segunda atividade, pudemos também refletir sobre questões bastante pertinentes sobre o perfil e as características do aluno online, o que nos possibilitou identificar alguns alertas até então desconhecidos, ou não tão visíveis no imediato, bem como encontrarmos um caminho mais seguro para aquilo que será esta nossa viagem.

Como é lógico, não poderia deixar de referir a fantástica surpresa que foi entrar em contacto com o Second Life. Esta foi, para mim, a cereja no topo do bolo deste MAMBO, tornando visível e efetivo um oceano de possibilidades de elearning. A gamificação que permite ao processo de aprendizagem torna-o motivador e viciante, a sua dimensão social torna-o real e próximo, e a sua característica interativa e dinâmica gera um manancial de oportunidades de elearning, que certamente me surpreenderão constantemente.

Considero o MAMBO um módulo fundamental para o embarque deste percurso, uma vez que nos fornece elementos-chave para que a nossa conceção de elearning se altere para um conceito progressivamente mais nítido e para que o nosso percurso seja cada vez mais claro e objetivo. Permitiu-nos esbater algumas barreiras digitais, como a forma de participação em fóruns ou em momentos de aprendizagem síncronos, permitiu-nos desenvolver o sentimento de turma e de pertença a uma instituição de ensino e possibilitou-nos entender que não estamos  sozinhos e que teremos um constante apoio por parte dos professores que nos acompanham. Adivinha-se para aqueles que, como eu, se formaram num sistema de ensino tradicional, uma mudança de paradigma inevitável.

  • Ponto 2 – Sinopse: Elearning: perspetivas e horizontes de Terry Anderson e Paulo Dias

 Num mundo global, de imagem, de informação, comunicação e tecnologia, emergem dois nomes, Terry Anderson e Paulo Dias, com perspetivas e horizontes fundamentados e cientificamente reconhecidos na comunidade de ensino através de plataformas eletrónicas, o elearning.

A nível internacional,Terry Anderson, de nacionalidade canadiana, dedica a sua vida académica ao estudo aprofundado de questões pedagógicas ligadas ao elearning. Ampla e variada é a bibliografia deste professor da Universidade de Athabasca, destacando-se The Theory  and Practice of Online Learning e E-Learning in the 21st Century: A framework for research and practice. O seu contributo focaliza-se na delineação de modelos pedagógicos em elearning, assentes em três dimensões: a dimensão cognitiva, a social e a docente, desenvolvidas em interações entre os diferentes intervenientes. Este nome surge intimamente ligado ao desenvolvimento de ideias sobre tendências de elearning.

No palco nacional, destaca-se Paulo Dias, quer pela sua obra, quer pelo envolvimento sólido e de referência em questões do ensino à distância e de elearning. Poderíamos referir Processos e contextos de aprendizagem colaborativa nas comunidades virtuais e de prática, mas vários são os livros publicados, capítulos de livros publicados, artigos em revistas com arbitragem científica e muito mais. Reitor da Universidade Aberta, tem um contributo de extrema importância nas discussões de inovação e aprendizagem na era digital, bem como na usabilidade pedagógica nos cenários de educação aberta, colaborativa e em rede.

Duas visões e uma necessidade: mudança de paradigma que rompa com as barreiras entre os contextos de educação formal e informal, da educação tradicional e a educação atual.

Duas visões e uma realidade: elearning e inovação pedagógica.

31 de outubro de 2014

Hélder Pereira